quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Produtividade: Metas para 2017


A transação de um ano para o outro acaba sendo um período em que as pessoas aproveitam para fechar um ciclo de projetos e iniciar outro, ou pelo menos um momento para reavaliação do que está acontecendo em sua vida.

Resoluções da virada sempre aparecem com várias promessas e metas. O ponto é que para que essas promessas se cumpram é necessário planejamento, parte que a turma tende a pular na hora de escrever no caderninho o que deseja para o ano que entra.

Não estou desanimando ninguém a sonhar por sonhar, sou do time que gasta boa parte do tempo livre imaginando coisas que seriam razoavelmente impossíveis, e fico pessoalmente chateada com quem diz que viajar na maionese de tempos em tempos é desperdiçar tempo e que poderia ser mais produtivo (sejam essas pessoas corretas ou não, vai saber).

Apenas gostaria de focar nesse post nos sonhos palpáveis, nos projetos mesmo, nas realizações que você, companheiro, espera em 2017. Como torná-las reais?

Fiz um pequeno conjunto de tópicos apenas porque fica mais bonitinho, mas o conjunto de passos é bem simples. O problema maior é realizá-lo dependendo do que você almeja. Então segue a lista...

1 - Identifique suas metas (de forma realista)

As vezes é complicado identificar o que realmente cabe na sua vida. Nem é só uma questão financeira, que geralmente é o primeiro empecilho que nos surge à mente, mas milhões de fatores: o que eu quero necessita de elementos que eu não tenho como conseguir de forma alguma? Preciso alcançar outra meta para que isso possa se cumprir? É viável? E, principalmente, isso combina comigo hoje? Ou é só algo antigo que não se cumpriu e que ainda estou segurando por costume? É para agradar alguém que nem me importo mais? Vai me fazer mais feliz ou será apenas um x na minha lista contabilizando números?

Um exemplo: Batata resolve que quer ganhar um campeonato de natação, mas ela não sabe nadar.
Bem, digamos que não é um sonho muito realista. Impossível? Quem sou eu para dizer? Mas dá pra pensar em algo mais viável na vidinha de Batata. Talvez aprender a nadar e se pá até participar realmente de um campeonato para iniciantes. (y)

Metas bem definidas e realistas são mais fáceis de se imaginar e projetar. E quando elas combinam com com você elas, por si só, te incentivam a buscá-las.

2 - Destrinche suas metas (pique ela em pedacinhos)

Beleza, Batata irá aprender a nadar. Mas como? Ela pode pedir para que o irmão a ensine nos fins de semana, pode se inscrever em um curso, pode verificar a grade de educação física na escola. Mais uma vez, Batata terá que escolher o caminho que melhor se enquadre em sua rotina e disponibilidade.
Para cada meta que foi especificada é necessário verificar o que deve ser feito, como será feito, quais serão as ferramentas necessárias, como consegui-las...

Isso é legal de se fazer não apenas porque tópicos sempre ficam mais bonitinhos, mas porque dão uma boa visão do caminho que deve ser feito e também aumentam o fator incentivo.

Se você faz uma lista de itens e demora muito para marcar algo é perigoso até se esquecer da coitada da lista, mas se você está constantemente marcando algo como ‘completado’ percebe que seus esforços estão valendo a pena e, geralmente, isso faz você se animar em continuar.

3 - Defina prazos.

Vamos botar certa pressão nas coisas. Estabelecer uma deadline diminui um pouco da procrastinação, mesmo que acabamos deixando para a última hora ainda faríamos em alguma hora.

Talvez a gente crie prazos não muito precisos, principalmente se for algo novo que não temos conhecimento exato de quanto tempo é necessário. Mas acredito que uma estimativa média das nossas capacidades seja bacana.

Para mim, Tia B, não gosto de estipular prazos muito gentis. Costumo me bagunçar com prazos muito longos pois fico com o sentimento de que tenho muito tempo e começo a me acomodar. Queremos realizações, vamos buscar nos conhecer e identificar o que funciona.

Por exemplo, apesar de não gostar de contar meus planos por aí até vê-los realizados, eu funciono melhor quando falo ao menos para uma pessoa mais próxima que estou tentando concretizar algo, pois sei que se ela vier perguntar se terminei meu projeto no prazo que disse, morrerei de vergonha se tiver que responder que não.

4 - Monitore seus planos

Desistir no caminho é a única coisa que tem 100% de garantia de destruir sua meta. Então, monitore seus planos.

Verifique o que está acontecendo, se está cumprindo seus prazos, o que pode estar atrapalhando, como contornar isso, o que está dando certo, o que você fez que deu certo, o que já cumpriu...

No fim é colocar novas metas no conjuntinho e seguir em frente. :D

- Mas, tia B, tem ferramentas para ajudar a organizar minhas metas?

Opa!

Eu, pessoinha analógica, gosto de usar um caderninho físico mesmo. Apenas escrevo minha lista de metas com um quadradinho na frente para marcar conforme for terminando e vou colocando na minha agenda pessoal os passos já nas datas aproximadas que eu quero cumprir. Todo começo de mês eu olho minha lista de metas para definir os passos para alcançá-las que tentarei cumprir naquele mês, e todo começo de semana verifico como estou indo.

Tentei fazer uma versão digital, tão simples quanto, para quem quiser imprimir. É algo bem simples apenas para incentivar. Deixarei um link para download aqui e outro no fim do post junto com as imagens de exemplo.

Existem apps bem completos também.

Um deles é o Minhas metas. Nele você pode separar suas metas em categorias (já vem com algumas, mas é personalizável) e estipular para cada uma os passos necessários já definindo as datas limites de execução. O app te mandará lembretes conforme o prazo for se esgotando. Você também pode definir imagens para cada meta, isso forma um simpático mural sempre que você abre o aplicativo.



Independente da ferramenta que você escolha é uma prática que ajuda muitas pessoas a se organizarem e cumprirem novas realizações, então vale a pena o tentar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário