segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Produtividade: Técnica Pomodoro

pomodoro imagem

Apesar de ser bastante preguiçosa, assumo, sempre fui uma pessoinha bastante responsável e nunca gostei de me propor a realizar algo para os outros e não cumprir. Na prática, o problema só existe então quando a proposta afeta exclusivamente a mim.

Pensando nisso comecei um processo intenso de melhoria pessoal. Eu queria encontrar ferramentas e técnicas que me fizessem manter mais o foco, aproveitar melhor o tempo, minimizar a procrastinação e, por fim, realizar mais.

Aqui, nessa seção, com tag produtividade, quero apresentar os materiais que encontrei, e quem sabe ajudar também os coleguinhas.

Para começar de leve vou falar de uma técnica de gerenciamento de tempo muito simples e muito fácil de ser realizada, mas que serve de base para diversos outros modelos com graus de complexidade e profundidade bem variados: a técnica Pomodoro.

A técnica, desenvolvida por Francesco Cirillo, teve inspiração para o nome no popular cronômetro de cozinha em formato de tomatinho, em italiano, pomodoro; pois consiste no uso de um cronômetro para criação de fatias de tempo. O argumento dessa técnica é que o cérebro trabalha melhor quando existem pausas frequentes durante um trabalho que exige foco.

Como, então, são divididos essas fatias de tempo?

O primeiro passo é definir o que será realizado. Saber exatamente o que deve ser feito faz com que o início do processo seja mais objetivo e diminui o tempo gasto para se pegar no tranco.

Definido a lista de tarefas e obtido o material necessário para realizá-lo é que se dá início à técnica Pomodoro de fato. Deve-se então ajustar o cronômetro para o tempo desejado de foco. No geral, é utilizado 25 minutos para essa etapa, mas se você já tem um conhecimento bacana sobre seu próprio sistema e sabe quanto consegue focar sem cansaço isso pode ser adaptado normalmente. Qualquer pensamento relevante ou distração importante que aparecer dentro desse período deve ser anotada para ser consultada no fim dessa fatia de tempo.

Os 25 minutos passaram e ainda não terminou o trabalho? Aqui entra a primeira pausa. Novamente existe uma sugestão comumente usada de 5 minutos. Aqui você sai, vai no banheiro, bebe uma água, organiza aquela distração para ser resolvida depois, ri de um vídeo curto, be free to live wild... Em 5 minutos. É interessante marcar de alguma forma que essa pausa ocorreu. Talvez fazer um pequeno x, colocar uma sementinha no canto da mesa, ou usar um app mais robusto. Mais para frente explicarei o motivo.

Com o fim da pausa marca-se mais 25 minutos de trabalho focado. E o ciclo se mantém assim atééé... Aí que entra a primeira utilidade daquelas marcações. 5 minutinhos ajudam, mas não fazem milagres. Então, uma das sugestões da técnica é que a cada quatro marcações exista uma pausa maior, de 15 até 30 minutos, dependendo da sua disponibilidade. Feito isso, o ciclo recomeça até que o trabalho completo esteja terminado.



Uma recomendação é que se a tarefa definida para aquela fatia de tempo terminar antes do fim dos 25 minutos o tempo restante seja utilizado para revisão do trabalho.

O legal das marcações é que permite a percepção de quanto tempo é necessário para cada tarefa. Assim, quando você precisar separar na agenda um momento para cumprir algo ou dar um prazo para alguém, esse controle colabora bastante.

No fundo o mais básico dos despertadores já cumpre a função para realizar a técnica do Pomodoro, mas existem várias ferramentas interessantes por aí que aconselho dar uma olhada.

Um deles é a extensão Strict Workflow para o navegador Chrome. Ele bloqueia sites como Facebook e Youtube (podendo ser acrescentados outros a gosto do freguês) durante os 25 minutos de foco (tempo também modificável). É bastante útil para quem trabalha no computador e não resiste à uma notificação das redes sociais.

Eu utilizo um app gratuíto para Android chamado de Productivity Challenge Timer. Considero um aplicativo bastante completo e até simples para a quantidade de recursos. Você pode adicionar projetos separadamente e selecioná-los quando iniciar o ciclo dos pomodoros. Assim você consegue visualizar quanto tempo gastou com cada projeto. Existem outros recursos derivados dessa técnica, mas quero explorá-los em outro post.


Acredito bravamente no potencial da técnica Pomodoro e tenho utilizado com resultados muito positivos. Vale dar uma chance e experimentar algumas das milhões de ferramentas que existem por aí.

2 comentários:

  1. OI TUDO BEM?EU QUERIA SABER SE VC PODE FAZER RESENHA DAS TEMPORADAS DE ONCE UPON A TIME?É QUE EU ACOMPANHEI SUAS RESENHAS NO OUTRO BLOG SOBRE A 1 E A 2 TEMPORADA,E SERIO TODO EP EU TENHO QUE LER,INTT ME AJUDA PFF KKK <3

    ResponderExcluir
  2. Olá! :D
    O blog 'Ele morre no final' é uma parceria minha com meu amigo Leonardo. Era ele quem escrevia os posts sobre Once Upon a Time. Passei seu recado para ele, quem sabe ele não anima a voltar a escrever, né!? :P

    ResponderExcluir